Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3179
Title: Biossólido e pó de coco como substrato para produção de mudas de jacarandá-da-bahia em tubetes de diferentes volumes
Authors: Miranda, Aline Machado
metadata.dc.contributor.advisor: Arthur Júnior, José Carlos
metadata.dc.contributor.members: Arthur Júnior, José Carlos
Leles, Paulo Sérgio dos Santos
Abreu, Alan Henrique Marques de
Keywords: Dalbergia nigra
Resíduo
Reciclagem
Issue Date: 28-Jun-2017
Abstract: A Mata Atlântica sofreu interferência das atividades antrópicas desde o processo de colonização do Brasil, restando 8,5% de remanescentes florestais do que existia originalmente, e essas áreas abrigam espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção, como é o caso da espécie arbórea Dalbergia nigra (Vell.) Fr.All. ex Benth (jacarandá-da-bahia). Para recuperar esse bioma, há uma grande demanda por mudas, e consequentemente de insumos, destacando-se o substrato. Com o aumento dos centros urbanos cresce os problemas decorrentes dos resíduos urbanos e industriais produzidos, que muitas vezes possuem como destinação mais comum o aterro sanitário. Diante do contexto, o objetivo do trabalho foi utilizar dois resíduos, urbano e industrial, como componentes de substrato para produção de mudas de jacarandá-da-bahia. Para isso avaliaram-se o crescimento e a qualidade das mudas produzidas com biossólido de lodo de esgoto e pó de coco em diferentes proporções, em tubetes de dois volumes, tendo um substrato comercial como referência. O experimento foi conduzido no Viveiro Florestal da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foram testadas cinco diferentes proporções de biossólido de lodo de esgoto mais pó de coco (0/100, 25/75, 50/50, 75/25 e 100/0), além do tratamento referência, substrato comercial a base de casca de pinus e vermiculita. O delineamento foi do tipo inteiramente casualizado com quatro repetições de 10 mudas, sendo cada tipo de tubete (110 e 280 cm3 de volume) considerado um experimento. Dos 60 aos 120 dias de idade foram mensuradas altura das mudas, e aos 120 dias o diâmetro do coleto, a massa de matéria seca da parte aérea, do sistema radicular e da total. Com base nos parâmetros morfológicos obtidos foi calculado o índice de qualidade de Dickson para estimar a qualidade das mudas. Entre as composições de substrato para o tubete de 110 cm3 é recomendado o uso dos substratos que apresentam biossólido na sua composição, independente da proporção. Para os tubetes de 280 cm3 o melhor resultado foi obtido com o substrato composto apenas pelo biossólido de lodo de esgoto (100/0). O substrato composto apenas pelo pó de coco (0/100) e o comercial (SC) apresentaram baixa sobrevivência e crescimento inferior, não sendo recomendados para produção de mudas de jacarandá-da-bahia.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3179
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MONOGRAFIA ALINE_MACHADO_MIRANDA.pdf758,84 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.