Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3002
Title: Recipientes na produção de mudas florestais, transporte, tempo e movimento na atividade de plantio e sobrevivência
Authors: Carvalho, Renan Gilberto da Silva
metadata.dc.contributor.advisor: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
metadata.dc.contributor.members: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
Ataíde, Glauciana da Mata
Abaurre, Gustavo Wyse
Keywords: Aroeira
Babosa branca
Ipê roxo
Pau d'alho
Mirindiba
Issue Date: 26-Jun-2015
Abstract: Objetivou-se neste trabalho verificar a influência de diferentes recipientes na produção de mudas de Schinus terebinthifolius, Cordia abyssinica, Tabebuia hepthaphylla, Lafoensia ghyptocarpa e Gallesia integrifolia produzidas em sacos plásticos de 8,9 (diâmetro) x 20 (altura) cm (1.248 cm³), tubetes de 280 cm³ e tubetes de 110 cm³ para recomposição florestal. Também avaliar transporte e atividade de plantio de mudas produzidas nos três recipientes. O experimento foi conduzido em quatro fases, à primeira de produção de mudas (viveiro), depois simulação de transporte, a fase de mensuração de tempo e movimento na atividade de plantio e a fase plantio no campo, com avaliação da sobrevivência. As avaliações na fase de viveiro consistiram de medições da altura da parte aérea e diâmetro de colo na época de expedição para o campo, além da área foliar, peso de matéria seca da parte aérea e o peso de matéria seca do sistema radicular. Constatou-se que em sacos plásticos as mudas apresentaram maiores dimensões e nos tubetes de 110 cm3, os menores valores. Para a fase de campo, de cada espécie e tratamento foram selecionadas 20 mudas de altura e diâmetro médios. Em seguida as mudas foram plantadas no mês de abril, em área de terço superior de uma encosta, de solo argiloso, no município de Queimados - RJ. Aos 90 dias após o plantio, avaliou-se a taxa de sobrevivência Os percentuais de sobrevivência foram de 98, 87 e 81% para as mudas provenientes de saco plástico, tubete de 280 cm³ e tubete de110 cm³, respectivamente. Realizou-se simulação de transporte das mudas para o campo e verificou-se que é possível transportar em torno de sete vezes mais mudas produzidas em tubetes de 110 cm3 em relação às de sacos plásticos 8,9 x 20 cm, em um caminhão de 13,6 m2. Este valor é três vezes superior, comparando mudas de tubetes de 280 cm3 e de sacos plásticos. O estudo de tempo e movimento foi realizado em uma área plana e as mudas, produzidas nos três recipientes, chegaram de camionete até beira do carreador do local de plantio. Constatou-se que o uso dos dois tipos de tubetes permitiu redução de 54% no tempo da atividade de plantio propriamente. Entre os recipientes testados, recomenda-se uso de tubetes de 280 cm3 para produção de mudas de espécies florestais da Mata Atlântica.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/3002
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia Renan Gilberto.pdf1,4 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.