Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2897
Title: Crescimento de espécies florestais pioneiras e não pioneiras sob diferentes espaçamentos em plantio de recomposição florestal
Authors: Abaurre, Gustavo Wyse
metadata.dc.contributor.advisor: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
metadata.dc.contributor.members: Leles, Paulo Sérgio dos Santos
Valcarcel, Ricardo
Passos, Carlos Alberto Moraes
Keywords: Crescimento
Espaçamento
Grupos ecológicos
Recomposição florestal
Issue Date: 14-Dec-2009
Abstract: O presente trabalho tem por objetivo, analisar o crescimento de espécies florestais pioneiras e não pioneiras em diferentes espaçamentos em plantio de recomposição florestal aos 48 meses de idade. O plantio foi realizado entre outubro e dezembro de 2004 na Usina Termoelétrica Barbosa Lima Sobrinho, Município de Seropédica - RJ. O experimento é formado por quatro espaçamentos de plantio, os quais constituem os tratamentos: 1,0 x 1,0; 1,5 x 1,5; 2,0 x 2,0 e 3,0 x 2,0 m. Em cada espaçamento foram instaladas 4 repetições de 30 covas. Aos 12, 24, 36 e 48 meses foram realizadas as medições de altura, diâmetro ao nível do solo e largura de copa (longitudinal e transversal a linha de plantio). Os dados coletados foram processados em duas etapas: a primeira consistiu em fazer a média dos indivíduos de cada espécie para chegar a um valor médio por espécie, e a segunda consistiu em obter a média dos valores das espécies classificadas como pioneiras e das classificadas como não pioneiras. Com isso foi possível obter um valor representativo para cada grupo ecológico. Em seguida, realizou-se a análise de variância e, quando houve significância, as médias foram comparadas através do teste de Tukey, ao nível de 5% de significância. Constatou-se que para o grupo das espécies pioneiras, a ampliação do espaçamento de plantio influenciou de forma positiva no crescimento em diâmetro ao nível do solo e área de copa aos 48 meses após o plantio. Para esse grupo ecológico a variável altura não foi influenciada pelo espaçamento de plantio. O grupo das espécies não pioneiras, aos 48 meses após o plantio, não apresentou diferenças em seu crescimento em altura, diâmetro ao nível do solo e área de copa entre os espaçamentos 1,5 x 1,5 ; 2,0 x 2,0 e 3,0 x 2,0 m. Para esse grupo ecológico, o espaçamento 1,0 x 1,0 m apresentou nesta idade, crescimento menor para todas as variáveis mensuradas em comparação aos espaçamentos maiores. Recomenda-se levar em consideração outros fatores em conjunto com o crescimento das espécies pioneiras e não pioneiras, para a escolha do espaçamento de plantio.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2897
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Gustavo.pdf387,67 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.