Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2804
Title: Estimativa da produtividade primária bruta para os diferentes usos do solo no estado do Rio de Janeiro, RJ
Authors: Cruz, Camila Caetano da
metadata.dc.contributor.advisor: Delgado, Rafael Coll
metadata.dc.contributor.members: Delgado, Rafael Coll
Oliveira Júnior, José Francisco de
Gois, Givanildo de
Keywords: Estoque de carbono
Fotossíntese
Fitofisionomia
Issue Date: 26-Jun-2014
Abstract: A Produtividade Primária Bruta (PPB) é uma etapa fundamental da fotossíntese que corresponde à capacidade carboxilativa total das folhas, sendo responsável pela retirada do carbono atmosférico e disponibilizando-o para os processos metabólicos ecofisiológicos. Os ecossistemas florestais existentes na Mata Atlântica são de suma importância para os estudos das mudanças climáticas e seus efeitos, pois representam grande influência sobre os ciclos hidrológicos e biogeoquímicos. Este trabalho tem por objetivo quantificar a PPB para os diferentes usos e coberturas do solo para o ano de 2009, dividindo-o por sazonalidade e fitofisionomia; e analisar a variabilidade espacial da PPB e sua correlação com a precipitação em todo o Estado do Rio de Janeiro para o ano de 2009. As maiores tendências de crescimento da PPB, calculadas no Teste de Mann-Kendall foram encontradas na floresta que apresentou crescimento significativo em todas as estações do ano, Z >0, no verão (40,82), no outono (58,57), no inverno (27,41), na primavera (17,98), seguidas da agricultura com o maior valor na primavera (20,25) e o menor valor no verão (0,06) tendo um crescimento insignificante da PPB , a pastagem com maior valor no inverno (30,02) e o menor valor no verão (-11,99) tendo um decréscimo significativo da série (PPB) e no manguezal, as estações do inverno (-2,16) e da primavera (-3,19) apresentaram decréscimos significativos da série e o verão (-1,68) e outono (-0,86) tiveram decréscimos insignificantes da série. Analisando a variabilidade espacial da PPB, os menores valores foram encontrados durante o inverno (0,00 Kg C m-2d-1) e os maiores valores (1,228 Kg C m-2 d-1) na transição entre primavera e verão, ou seja, na época mais seca e fria e mais quente e úmida, respectivamente. Os maiores valores de PPB estão distribuidos pelas regiões Metropolitana, Serrana, Costa Verde e Baixada Litorânea em decorrência das maiores porções de floresta que são encontradas nestas regiões. A pastagem e o manguezal apresentaram alta relação da PPB com a precipitação, 70,5 % e 91,79 %, respectivamente, que pode estar associado ao rápido crescimento dessas áreas em função da menor quantidade de área foliar.
URI: http://repositorio.im.ufrrj.br:8080/jspui/handle/1235813/2804
Appears in Collections:TCC - Engenharia Florestal (Seropédica)

Se for cadastrado no RIMA, poderá receber informações por email.
Se ainda não tem uma conta, cadastre-se aqui!

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Camila Caetano da Cruz.pdf888,14 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.